No Cais das Colunas Reconstituição histórica do desembarque do Rei D. João I

cartazA Câmara Municipal da Moita e a Associação Cultural História e Património Alius Vetus, em colaboração com a Marinha do Tejo e com a Câmara Municipal de Lisboa, entre outras entidades, vão reconstituir o desembarque do Rei D. João I, em Lisboa. O Rei, acompanhado pelo seu filho bastardo, D. Afonso, parte do Cais da Moita, no dia 19 de julho, às 7:00h, no varino municipal “O Boa Viagem”. A recriação histórica decorre, no Cais das Colunas, em Lisboa, entre as 9:30h e as 12:00h.

Enquadramento histórico:

No século XV, Alhos Vedros tinha conquistado a reputação de ser uma povoação de ares saudáveis e aprazíveis, funcionando então como zona de veraneio para algumas famílias nobres. No ano de 1415, quando grassava então a peste bubónica na cidade de Lisboa, vitimando a rainha D. Filipa de Lencastre, D. João I, a pedido do seu Conselho, refugiou-se em Alhos Vedros para se afastar dos ambientes pestíferos da epidemia.

Após a morte da rainha, os infantes reuniram-se duas vezes com o seu pai, em Alhos Vedros. No segundo encontro, o debate foi acalorado e o monarca tomou a decisão final de dar continuidade à expedição da tomada de Ceuta que estava já planeada desde o ano de 1412. O rei manteve-se em Alhos Vedros por mais alguns dias, enquanto os três Infantes regressaram a Lisboa para ultimarem os preparativos da viagem. Na quarta-feira, dia 23 de Julho de 1415, ou seja, na antevéspera da partida da armada para Ceuta, D. João I saiu de Alhos Vedros para o Restelo, na galé do seu filho, D. Afonso, Conde de Barcelos.

A decisão final da tomada da praça de Ceuta terá sido, de alguma forma, avaliada e ponderada pelo monarca enquanto esteve aqui alojado em Alhos Vedros, com o conhecimento de um pequeno grupo de pessoas que privavam com D. João I. Foi uma expedição preparada e realizada em segredo e, como tal, era de todo conveniente que o seu projeto fosse apenas conhecido por um restrito número de pessoas, sendo os Infantes os seus principais protagonistas.

Pretende-se, com esta iniciativa, reconstituir a cena do desembarque do rei, D. João I, em Lisboa, no Cais das Colunas, acompanhado pelo seu filho bastardo, D. Afonso, Conde de Barcelos, Gomes Martins de Lemos (fidalgo do conselho de D. João I) e alguma da sua criadagem e guarda pessoal (um corpo armado de militares que estavam ao serviço permanente do rei e besteiros).

A reconstituição histórica vai contar com a participação de embarcações típicas do Tejo, grupos de dança e muita animação.

 

Fonte CMM

Leave a Reply

Your email address will not be published.