Conferencia: “A luta dos Ferroviários do Barreiro: da utopia á realidade”

 

conferenciatei2A luta dos Ferroviários do Barreiro: da utopia á realidade”, É segunda conferência a realizar no próximo dia 18 de Fevereiro, entre as 16H00 e as 19H00. na antiga estação do Lavradio, Espaço L. com a participação de Armando Sousa Teixeira.

A Associação Barreiro Património Memória e Futuro  e o Movimento Cívico de Salvaguarda do Património Ferroviário do Barreiro, associações integrantes do Projecto Espaço L, estão a organizar em 2017 um ciclo de conferências dedicadas ao tema “Património cultural”, tendo como objectivo específico a preservação e divulgação do património ferroviário na sua vertente histórica e cultural, com incidência no caso particular do Património Ferroviário do Barreiro.

“A luta dos Ferroviários do Barreiro: da utopia á realidade”

“O progresso material e a elevação do nível de vida das classes trabalhadoras são um factor de avanço de todos os restantes sectores da vida económica e social da comunidade. Tal como constituem a base fundamental para o aparecimento de formas de organização colectiva preocupadas com o recreio e a cultura  ou outras formas mais avançadas, interessadas na defesa das condições de trabalho e dos direitos dos trabalhadores.

A primeira grande luta dos ferroviários do Sul foi travada em 1911, durante 6 dias, de 11 a 16 de Janeiro, integrada numa greve nacional conseguiu imobilizar quase todos os comboios do País, tendo obtido aumentos salariais, 20 dias de licença anual com vencimento, passes gratuitos, etc.”

Participação: Armando Sousa Teixeira, natural do Barreiro, engenheiro químico industrial, neto de ferroviário, dedica-se há muito à investigação e divulgação da história barreirense, nas vertentes do trabalho, da resistência e da luta. Tem oito livros publicados, nomeadamente:

– A Fábrica e a Luta em Construção” (1999)

– A Indústria e a Luta em Desenvolvimento (2005)

– Roteiro das Memórias do Trabalho, Resistência e Luta (2009)

– A l República e o Movimento Operário no Barreiro ( 2013)

– Antigamente da Bela Vista viam-se os Barcos da Muleta (2016)

É dirigente da ABPMF que procura dinamizar a preservação do património e da memória ferroviária.

Plano da sessão:

Abordagem cronológica da história da luta dos ferroviários do Barreiro desde os tempos da monarquia até á nacionalização dos caminhos de ferro, uma conquista da revolução de Abril.

Esta conferência contará ainda com testemunhos vivos, “histórias de vida” dos que trabalharam e viveram o dia-a-dia dos caminhos de ferro do Sul e Sueste.

Público-alvo: Entusiastas dos caminhos-de-ferro, trabalhadores ferroviários, estudantes, e cidadãos barreirenses.

Projecto Espaço L

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.