Humilde homenagem a uma grande mulher!

manuela fonsecaHá pessoas que fazem parte das nossas vidas durante períodos mais ou menos longos e que, durante esse tempo, principalmente enquanto crianças ou adolescentes, não conseguimos reparar na importância que tais pessoas têm na nossa formação. É o que acontece com os professores, que são pessoas que fizeram parte da nossa vida, por períodos de tempo significativos. Muitos deles conviveram connosco durante um ano e até mais. Alguns eram ou ainda são pessoas banais – exigentes, velhos, novos, torturadores, chatos, esquisitos, sensíveis, amigos, insensíveis – que, com o passar dos anos, esquecemos simplesmente ou, nos marcaram tão negativamente que não conseguimos sequer apagar da memória. Felizmente há os que se tornam marcas indeléveis na nossa vida. A Manuela Fonseca é um feliz exemplo na minha vida enquanto estudante e, estou certa, na vida de tantos que, como eu, tiveram também a oportunidade de cruzar as suas vidas com a dela. Conheci a MF quando frequentava o 6º ano do Curso Complementar, no ano lectivo de 1975-1976, no Liceu dos Casquilhos, hoje Escola Secundária. Sim, foi aí que a “Manela” (assim a chamávamos) se “estreou” como formadora. Recordo, como se fosse hoje, as suas maravilhosas aulas de Português e Literatura, que, por vezes, eram dadas ao ar livre, no eucaliptal do liceu. Como ela captava tão bem a atenção de todos e nos inspirava, ensinando-nos a ver o mundo pela magia do seu discurso! Estou certa que o seu talento, saber, sensibilidade e entusiasmo contribuíram para o desvendar dos talentos e escolhas profissionais de muitos de nós. Seis anos depois voltei a reencontrá-la, ainda no contexto educativo, mas, desta vez, ambas no papel de mães/ encarregadas de educação numa reunião de Pais no Externato Manuel de Melo. Não era apenas a minha grande professora que estava ali, sentada ao meu lado, naquela reunião. Ali estava a grande mãe e grande mulher também. E, como, por razões pessoais, não pude comparecer à festa de homenagem feita a esta grande pessoa, quero-lhe deixar, nestas minhas humildes palavras, o meu grande Bem Haja por compartilhar com todos nós o seu pensamento, o seu talento e o seu saber intelectual e existencial. E quero que a MF saiba que as marcas que deixou na minha vida se perpetuarão não só na minha memória mas também, e principalmente, no meu coração.

 Clara Soares (Professora na Escola Secundária Augusto Cabrita)

editado em 20/1/2013

reeditado hoje dia 28/10/2016

Leave a Reply

Your email address will not be published.